Make your own free website on Tripod.com

Pranayama (Disciplina da Respiração)

Pranayama não é simplesmente um exercício respiratório. Este, além disto, tem um objetivo muito mais profundo, que se relaciona com a limpeza dos canais energéticos do nosso corpo e com o correto direcionamento e controle nas energias sutis que nos envolvem. Existem diversas técnicas para este fim, mas é preciso que este trabalho seja executado sob supervisão de um profissional experiente, que já tenha evoluído pelos princípios básicos das diversas técnicas respiratórias. Aqui vamos aprender duas técnicas simples mais que são muito poderosas, estas são o Kapalabhati (Kriya) e Nadi Sodhana Pranayama.

Veja o que diz sobre isto os trechos descrito no livro "O Yoga – Tara Michael":

"Considera-se o pranayama como a mais elevada forma de Ascese, que purifica de todas as impurezas e alimenta a chama do Conhecimento: Pelo pranayama, a rede de opaca, que recobre a luminosidade intrínseca do espírito (Citta) é gradativamente dissolvida, e o espírito torna-se apto à concentração."

"O Pranayama corretamente executado destrói todas as doenças. Mas uma prática incorreta causa todas as doenças: soluço, sufocação, tosse, enxaqueca, dores nos ouvidos e nos olhos, e assim por diante."

"Os principais sinais exteriores da purificação das Nadis são a magreza física, a tez luminosa, maior apetite, e uma saúde perfeita."

Pranayama significa controle (yama) do Prana (energia vital). Vejamos abaixo uma breve descrição (segundo o Prof. José Hermógenes – Autoperfeição com Hata Yoga) sobre a importância da respiração:

"A ciência ocidental considera a respiração tão-somente fenômeno fisiológico, mercê do qual o organismo utiliza o oxigênio do ar a fim de com ele efetuar as transformações químicas necessárias para que o sangue possa distribuir "nutrição" a todas as células. Parar de respirar é o mesmo que morrer. Para a ciência Yogui a respiração, no entanto, é muito mais do que um fato fisiológico. É também psicológico e prânico. Em virtude de fazer parte dos três planos — fisiológico, psíquico e prânico —, a respiração é um dos atos mais importantes de nossa vida. É por seu intermédio que logramos acesso a todos eles. Por outro lado, é ela o único processo fisiológico duplamente voluntário e involuntário. Se quisermos, podemos acelerar, retardar, parar e recomeçar o ritmo respiratório. É possível para nós torná-la mais profunda ou superficial. No entanto, quase todo o tempo, dela nos esquecemos inteiramente, deixando-a por conta da vida vegetativa. Graças a isto, a respiração é também a porta através da qual poderemos um dia, à custa de aprendizado, invadir o reino proibido do sistema vago-simpático. É principalmente graças a ela que o Yogin avançado consegue manobrar fenômenos fisiológicos até então refratários a qualquer gerência".

Seguem abaixo as duas técnicas escolhidas: (se você nunca teve contato com estes tipos de exercícios respiratórios, aconselho a procurar um profissional experiente, para que este possa conduzí-lo no caminho correto do aprendizado inicial). Estou a disposição para maiores esclarecimentos, caso você deseje, pelo e-mail: pmaia@globo.com


1 – Kapalabhat
i (Crânio brilhante)

Apenas para efeito didático estamos colocando esta técnica dentro do capítulo de pranayama, mas trata-se na verdade uma Kriya (técnica de limpeza). Esta técnica pode ser praticada em pé, mas o ideal é em uma postura sentado e com a coluna verticalizada. Inicie com uma expiração profunda, para limpar todo o ar residual que está no interior dos pulmões. Após isto relaxe totalmente o abdômen, de modo a permitir que a base dos mesmos se encham de ar. Em seguida expira-se vigorosamente, de maneira a expulsar todo o ar de forma energética. Depois voltamos a relaxar o abdômen e o ar volta a preencher a base dos pulmões, e com outro movimento energético voltamos a expulsar o ar. Como podemos ver, trata-se na verdade de uma série de expirações energéticas, onde a inspiração ocorre de maneira passiva. Uma boa dosagem para iniciantes é fazer 2 voltas de 10 expirações, com intervalos de relaxamento entre cada volta, por dia.


2 – Nadi Sodhana (Limpeza e Purificação das Nadis)

Este pranayama tem a função de limpar e purificar as Nadis, além de energizá-las. O processo consiste em inspirações e expirações, sem retenções, com ambas as narinas, de forma alternada, o que nos conduz a idéia da energização da Ida e Pingala Nadi. Este pranayama deve ser praticado em uma postura sentado e com a coluna verticalizada. Inicie fechando a narina direita com o polegar e inspire contanto até 5. Após terminar a inspiração feche a narina esquerda com o dedo anular e libere a narina direita. Proceda a expiração pela narina direita contando até 5. Mantenha a narina esquerda fechada e inspire pela direita, contando até 5. Agora feche a narina direita com o polegar e libere a narina esquerda, soltando o ar por ela, e contanto até 5. Está completo o que chamamos de uma volta. Uma boa dosagem para iniciantes é fazer 15 voltas por dia.

O Nadi Sodhana Pranayama é um ensaio e preparação do aparelho respiratório para experimentarmos outras técnicas mais avançadas, que necessitam do supervisionamento de um instrutor experiente. A partir daí poderemos passar a inserir as retenções, que são na verdade a essência do pranayama.